Acompanhe nossos conteúdos!

Artigos e notícias sobre o segmento de coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos industriais e de saúde. Confira aqui!

O que são resíduos tóxicos e como fazer o tratamento adequado?

Todos os tipos de resíduos apresentam um grau de periculosidade para a saúde humana e para o meio ambiente. Entretanto, alguns podem apresentar um grau de contaminação ainda maior. Este é o caso dos resíduos considerados tóxicos.

Este tipo de resíduo pode ser gerado por indústrias, hospitais, laboratórios, institutos de pesquisa e até mesmo em residências. Pilhas não-alcalinas, baterias, tintas, solventes, remédios, lâmpadas, embalagens de agrotóxicos, produtos químicos e seus derivados, produtos que apresentam radioatividade e diversos outros se encaixam na categoria de resíduos tóxicos.

Entre as propriedades que tornam um resíduo perigoso destacam-se a: inflamabilidade, a toxicidade, a corrosividade, a reatividade e a radioatividade.

Recentemente o canal americano HBO produziu uma minissérie sobre o desastre nuclear de Chernobyl. A partir dos episódios é possível perceber o quanto os resíduos tóxicos nucleares são nocivos para a saúde humana, podendo levar até ao óbito em pouco tempo.

Classificação

As normas definidas pela NBR dizem que os resíduos devem ser realocados em três grandes grupos para a sua classificação de acordo com o seu grau de periculosidade. Os de Classe A são os que apresentam um maior risco de contaminação devido às suas propriedades infectante.

Classe A – Resíduos Infectantes – vacinas vencidas, materiais com sangue, tecidos humanos e animais, órgãos humanos e animais, animais contaminados, fluidos orgânicos, secreções e matéria orgânica humana em geral;

Classe B – Resíduos Químicos – materiais contaminantes, restos de remédios, resíduos químicos e radioativos em geral;

Classe C – Resíduos Radioativos– São os resíduos resultante de atividades humanas que contenham radionuclídeos em quantidades superiores ao estabelecido pelo CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear);

Classe D – Resíduos Comuns – Material de escritório, jardinagem, conservação e materiais comuns às demais organizações.

Classe E – Resíduos Perfurocortantes – Agulhas, ampolas de vidro, lâminas de barbear e bisturi, espátulas.

Tratamento de resíduos tóxicos

Os tratamentos dos resíduos considerados tóxicos são direcionados de acordo com o seu grau de periculosidade tanto para a saúde humana, quanto para o meio ambiente.

Um fator importante é que a Constituição Federal de 1988 determina que a empresa responsável pela comercialização de resíduo considerado tóxico também seja a responsável por recolher e também por dar uma destinação final adequada ao resíduo.

Empresas de pilhas e baterias, por exemplos, são obrigadas a ter um ponto de recolhimento do material vendido utilizado para que uma empresa de tratamento realize o descarte a manipulação adequada do produto.

Como a Pró-Ambiental pode auxiliar a sua empresa?

A Pró-Ambiental realiza com responsabilidade e competência todos os processos que envolvem o bom gerenciamento dos resíduos considerados tóxicos.

Cada grupo de resíduo possui suas particularidades para a realização, por exemplo, da coleta. Por este motivo, os resíduos seguem rigorosos procedimentos de manejo para garantia da segurança durante todo o trajeto, do transporte do ponto de coleta à unidade da Pró-Ambiental.

Outro ponto importante é a utilização de EPIS durante todo o processo, além de possuir frota própria, veículos adaptados e licenciados pela FEAM, seguro ambiental e contrato de emergência químico ambiental em todos os caminhões da frota.

Precisa de uma empresa responsável para gerenciar o resíduo tóxico gerado pelo seu estabelecimento? Fale agora mesmo com a Pró-Ambiental. 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Como identificar e tratar o resíduo gerado em montadoras de veículos

O Brasil é um dos países com o maior número de montadoras de veículos no mundo. O mercado é um dos impulsionadores da economia no país. É o responsável pela grande geração de empregos e agrega muito ao setor tecnológico de onde está alocada.  Somente em Minas Gerais são quatro grandes montadoras de veículos: Fiat, Iveco, Mercedes-Benz e CNH New Holland.

Tudo começou no início do século XX com o sistema de produção em massa de Henry Ford. Logo após as ideias do chamado Toyotismo tomaram conta da indústria. Esses sistemas são os precursores do modelo de indústria automobilística que vemos hoje. Essa indústria foi capaz de proporcionar, por exemplo, muita agilidade no transporte, trazendo também segurança e conforto.

Apesar da perspectiva positiva que uma montadora de veículos representa é importante pensar também na quantidade de resíduos que uma indústria do segmento produz. É necessário que uma montadora não pense somente no lucro obtido com a fabricação e montagem dos veículos, mas que leve em consideração a proteção e manutenção do meio ambiente e, por consequência, da saúde pública.

 

Classificação

Uma montadora de veículos pode gerar componentes a serem descartados que se encaixam principalmente em duas classes:

 

Classe I

São os resíduos perigosos e devem ter destinação adequada: combustíveis, óleos lubrificantes, fluidos do radiador e freios, baterias e lâmpadas com vapor de mercúrio.

 

Classe II

São os componentes recicláveis e podem ser reaproveitados (sucata): chapas de aço, plásticos, bancos, tecidos, fios elétricos, vidros e os pneus de borracha

 

Legislação

Levemos em consideração uma área de pintura de uma montadora como exemplo. De acordo com estudos realizados em uma montadora de médio porte, esta é responsável pela geração de cerca de 1.200 quilos de resíduos ferrosos, papelões, plásticos, materiais tóxicos, componentes elétricos, dentre outros.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e o Decreto nº 7.404/2010 estabelecem algumas regras de que devem ser seguidas à risca pelas montadoras de veículos. Esta Política responsabiliza a indústria diretamente por danos causados ao meio ambiente, caso o material utilizado seja descartado de forma incorreta.

É importante que cada resíduo tenha a atenção necessária para o descarte correto. A organização deve apresentar para as autoridades competentes formas de acondicionamento correto e que atenda às legislações ambientais. Lembrando que quem descumprir as normas está passível de multa e até o fechamento da unidade.

 

Como a Pró-Ambiental atua?

Diante de um problema tão recorrente e que atinge tanto a sociedade, afinal as montadoras de veículos são consideradas uma das grandes responsáveis pela degradação do meio ambiente, é importante que a montadora se atente para que uma empresa competente e licenciada atue como a responsável direta pelos resíduos gerados pela mesma.

A Pró-Ambiental já está a mais de 15 anos no mercado e possui todo um sistema de acondicionamento, coleta, transporte, tratamento e descarte de resíduos para montadoras de veículos.

 

Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato com a Pró-Ambiental agora mesmo!

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Saiba como identificar e tratar os efluentes líquidos industriais

O que são efluentes líquidos? Como são classificados? Como fazer o tratamento e o descarte consciente do produto? Neste post, a Pró-Ambiental vai esclarecer todas as suas dúvidas sobre efluentes líquidos industriais. É válido lembrar que a organização já atua há mais de 15 anos no mercado e oferece, com excelência, serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos industriais.

 

Classificação de efluentes líquidos industriais

Os efluentes líquidos industriais são os resíduos resultantes das atividades da indústria. Estes são provenientes do processo de fabricação de diversos produtos, lavagens de tanques, tubulações, equipamentos, pisos, do processo de resfriamento e de geradores de vapor, entre outros. Esses produtos possuem características químicas, físicas e biológicas que podem variar de acordo com o ramo de atividade de cada indústria, e antes que essas “águas” cheias de resíduos voltem ao seu leito, necessitam de tratamento e manejo adequado, evitando assim o risco de contaminação do meio ambiente.

Um dos efluentes líquidos causadores dos principais problemas ambientais no Brasil e no mundo é o esgoto sanitário ou o efluente doméstico. Este é proveniente de toda e qualquer edificação que tenha banheiro ou cozinha. Quando não tratado e descartado em rios e mares, este efluente consome oxigênio em seu processo de decomposição, causando a mortalidade de animais aquáticos.

O fósforo e o nitrogênio, presentes nesses despejos, quando em alta concentração, causam a proliferação de algas, prejudicando a respiração das espécies aquáticas, provocando o desequilíbrio ambiental.

 

Tratamento de efluentes líquidos industriais

As leis ambientais no Brasil são cada vez mais rígidas. É necessário que as empresas se adequem operacionalmente no que diz respeito ao tratamento adequado de águas e efluentes líquidos. É de suma importância que as organizações façam o descarte de seus resíduos de forma segura e confiável.

O tratamento de efluentes líquidos industriais acontece a partir da remoção dos poluentes físicos, químicos e biológicos. O manejo deve ser feito com o objetivo de evitar ao máximo a degradação da natureza. Especialistas alertam que efluentes distintos não devem ser misturados, pois cada resíduo possui características específicas, com diferentes concentrações de carga orgânica e por isso o recolhimento, manejo e transporte devem ser realizados de forma a evitar acidentes e impactos indesejados no descarte de efluentes líquidos.

A Pró-Ambiental é uma das empresas autorizadas pelos órgãos competentes a fazer a coleta e destinação correta dos efluentes líquidos. A organização possui autorização para o envio e tratamento, veículos e profissionais especializados para a coleta adequada, além das certificações exigidas e toda a estrutura necessária para que o produto não seja lançado de forma incorreta no meio ambiente.

 

Ainda tem dúvidas sobre efluentes líquidos?

Entre em contato com a Pró-Ambiental através do nosso formulário clicando aqui, pelo e-mail proambiental@proambientaltecnologia.com.br ou pelos telefones (35) 3826-9038 / 3826-9048 / 9 9127-0383.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Sua empresa produz resíduo industrial? Veja como a pró ambiental pode te ajudar.

A sua empresa produz resíduo industrial, e você não sabe como fazer a coleta adequada deste produto? A Pró-Ambiental já atua há mais de 15 anos no mercado e oferece, com excelência, serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos industriais.

Neste post, vamos explicar como a pró-ambiental pode auxiliar a sua empresa no processo de coleta de resíduos industriais, sejam eles sólidos, líquidos ou gasosos. Todos os trabalhos prestados pela organização, são desenvolvidos com o uso de tecnologias de ponta que propiciam segurança, qualidade e desenvolvimento sustentável para as empresas.

O que são resíduos industriais?

Os resíduos industriais são as conhecidas “sobras” da produção. No Brasil, estes são classificados segundo a norma NBR 10.004. A especificação é um meio de determinar o destino e tratamento adequado para cada tipo de resíduo industrial.

O descarte correto de resíduos industriais é de extrema importância para o meio ambiente e para a saúde pública. A operação é de total responsabilidade de empresas, se feito incorretamente pode implicar em vários problemas legais e ambientais.

Coleta de resíduos industriais

A coleta é o primeiro e o mais importante passo para que os resíduos sigam o seu caminho para a reciclagem ou destinação final. O processo deve ser realizado de forma ambientalmente correta. Resíduos, principalmente os providos de processos químicos ou industriais, necessitam de um manuseio adequado, uma vez que, este tipo de material oferece altos riscos à saúde e ao meio ambiente.

A Pró-Ambiental tem uma equipe com profissionais treinados e que apresentam uma série de cuidados para que o procedimento seja executado de forma correta e sem oferecer nenhum tipo de risco. A empresa utiliza de EPIS durante toda a coleta, além e possuir uma frota de veículos próprios e adaptados.

Transporte de resíduos industriais

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o transporte de resíduos, principalmente os considerados perigosos, devem ser feitos por uma empresa adequada às normas e devidamente licenciada.

O transporte é considerado uma área-chave dentro do composto logístico para o manejo de resíduos. Veículos específicos, quantidade de peso e resíduo a ser transportado devem ser sempre levados em consideração.

A Pró-Ambiental possui um sistema logístico que atende às necessidades dos clientes com compromisso e eficiência. A empresa trabalha com frota própria e uma equipe altamente especializada. A frota ainda possui seguro ambiental e contrato de emergência químico ambiental. São mais de 56 veículos especializados em coleta e 9 administrativos.

Armazenamento de resíduos industriais

O armazenamento correto dos resíduos oferece diversas soluções importantes, principalmente no que diz respeito às questões socioambientais. Atualmente a NBR 12235/92 trata sobre os procedimentos para o armazenamento de resíduos perigosos e a NBR 1321/07 regulariza a questão dos transportes.

São mais de 1.500 m² de áreas de armazenamento disponibilizadas pela Pró-Ambiental, o que possibilita um acondicionamento licenciado e que atende às normas pertinentes ao seguimento.

Incineração de resíduos industriais

A incineração pode ser considerada um método de controle no qual os resíduos são incinerados altas temperaturas. O objetivo principal é reduzir o perigo que eles representam tanto para o meio ambiente quanto para a saúde. Incinerar resíduos pode destruir ou neutralizar componentes nocivos e também reduzir grandemente o volume final do resíduo.

A Pró-Ambiental é pioneira no serviço em toda a América Latina. A empresa utiliza de tecnologia Alemã e otimiza as relações entre combustão, comburente e temperatura, afim de eliminar ao máximo a emissão de gases nocivos e de sustentar a autocombustão.

Viu como a Pró-Ambiental pode ajudar a sua empresa? É claro que oferecemos uma série de outros serviços que envolve o manejo e gerenciamento de resíduos de forma adequada e licenciada pelos órgãos competentes.

Quer saber quais os serviços e de que forma a Pró-Ambiental pode ajudar a sua organização?

Entre em contato conosco pelo e-mail proambiental@proambientaltecnologia.com.br ou pelos telefones (35) 3826-9038 / 3826-9048 / 9 9127-0383

Se preferir, nos envie uma mensagem. Clique aqui. 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Como descartar embalagens com óleos industriais? Veja como a Pró pode te ajudar.

Praticamente todo e qualquer tipo indústria utiliza de óleos industriais. O produto é responsável pela lubrificação e tem como objetivo maximizar o desempenho de todo tipo de máquina e equipamento. Os óleos industriais ainda são os responsáveis pela melhora na produtividade e até pela redução dos custos de manutenção, pois a substância evita o desgaste e a corrosão de partes lubrificadas.

A indústria emprega cinco tipos principais de fluidos, que são:

Hidráulicos – Os fluidos hidráulicos são os principais responsáveis pela transmissão de energia e força. Possuem a principal função de movimentar equipamentos ou ferramentas em linhas de processos.

O produto inclui compostos sintéticos, óleo mineral, água e misturas baseadas em soluções e emulsões aquosas, sendo que, independentemente de sua composição e propriedades em diversas temperaturas, sua característica mais importante é a baixa compressibilidade.

Minerais – Os óleos minerais à base de petróleo são os mais utilizados em circuitos hidráulicos. Normalmente são óleos fabricados a partir de básicos selecionados, que passam por processos de refinação e tratamento, podendo ser utilizados nos mais diversos tipos de sistemas e nas mais exigentes condições operacionais

Fluidos sintéticos – Possuem boas propriedades de lubrificação e estruturas químicas que oferecem resistência à propagação do fogo. Normalmente é fabricado base de ésteres de fosfato, ésteres complexos, aromáticos de alto peso molecular, cloridratos de hidrocarbonos, dentre outros. Podem ser obtidos em várias viscosidades, possuindo um índice de viscosidade inferior aos óleos minerais.

Silicones – São fluidos de preço elevado e destinado para aplicações especializadas. São adequados para trabalhos em altíssimas temperaturas, além de possuírem um índice de viscosidade muito elevado, que mantém sua aderência a níveis aceitáveis nas temperaturas mais altas.

Descarte de embalagens de óleos industriais

O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) dispõe de uma resolução específica e focada no descarte de óleos. A substância é um recurso natural não renovável, e por isso é altamente agressiva ao meio ambiente. A Associação Brasileira de Normas Técnicas ainda classifica os óleos como resíduos perigosos (classe 1) pela sua alta toxicidade.

Quando descartado incorretamente, os óleos tendem a seguir para os solos ou cursos de água, causando graves danos ambientais e à saúde pública. E, quando queimados, a substância gera gases residuais que são extremamente nocivos.

O gerador é o responsável por dar uma destinação correta ao óleo usado. É importante que se observe o princípio de reciclabilidade. Todo óleo lubrificante usado ou contaminado deverá ser recolhido, coletado e ter destinação final, de modo que não afete negativamente o meio ambiente e propicie a máxima recuperação dos constituintes nele contidos.

IMPORTANTE: Os geradores devem entregar o óleo lubrificante usado ou contaminado ao seu revendedor ou diretamente para um coletor autorizado pela ANP.

A Pró-Ambiental é uma das empresas autorizadas pelos órgãos competentes a fazer a coleta e destinação correta dos óleos industriais. A organização possui as certificações exigidas e toda a estrutura necessária para que o produto não seja lançado de forma incorreta no meio ambiente.

Ainda tem dúvidas sobre óleos industriais? Entre em contato com a Pró-Ambiental através do nosso formulário clicando aqui.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Saiba como identificar e tratar os resíduos de postos de combustíveis

Você sabia que abastecer, lavar o carro, utilizar de serviços de borracharia, troca de óleo e até a parte administrativa do posto de combustível produzem resíduos? Os postos são os principais responsáveis pela contaminação dos solos com produtos tóxicos, como metais e solventes. Para evitar a situação, os resíduos de postos de combustíveis devem ser armazenados, transportados e descartados de acordo com a legislação específica para cada item.

Confira a lista de produtos e serviços que geram resíduos em postos de combustíveis:

  1.  Bomba de gasolina;
  2. Tanques de combustíveis (geralmente enterrados);
  3. Pontos de descarga de combustíveis, onde os carros-tanques fazem o reabastecimento;
  4. Tanque para recolhimento e guarda de óleo lubrificante usado (geralmente enterrados);
  5. Tubulações enterradas que comunicam o ponto de descarga com o reservatório e este com as bombas de abastecimento;
  6. Edificações para escritório e arquivo morto;
  7. Loja de conveniência;
  8. Centro de lubrificação e o centro de lavagem;
  9. Unidade de filtragem de diesel;
  10. Sistema de drenagens oleosas e fluviais;
  11. Equipamentos de proteção e controle de derrames e vazamentos de combustíveis, bem como de segurança quanto a incêndios e explosões;

 

Classificação dos resíduos de postos de combustíveis

Os resíduos de postos de combustíveis ainda podem ser classificados em diferentes categorias, de acordo com o seu grau de periculosidade e contaminação.

Classe I (Perigosos) – São os resíduos que ficam impregnados no estabelecimento como: óleo, combustível, fluidos de freio, aditivos em geral, embalagens de óleo, de fluidos automotivos, filtros de óleo, filtros de combustíveis, solo contaminado e líquido e sólido proveniente de caixa separadora.

Classe II A – Podem ser classificados como resíduos não perigosos e não nocivos à saúde e ao meio ambiente. Podem se encaixar nessa categoria embalagens de papel, filtros de ar, borracha (pneu, câmara e palheta de para-brisa).

Estes não precisam de tratamento específico, entretanto necessitam de uma empresa licenciada que realize o seu transporte e descarte de forma adequada.

Classe II B – São altamente perigosos e inertes. São nocivos à saúde humana e principalmente ao meio ambiente. É de suma importância que sejam transportados e acondicionados corretamente, seguindo rigorosamente a legislação ambiental.

Contaminação

Uma das principais preocupações geradas pelos resíduos de postos de combustíveis é a contaminação do subsolo e da água subterrânea. O estabelecimento gera vários efluentes líquidos como óleos, graxas e resíduos sólidos. Assim, as águas superficiais e subterrâneas podem ser contaminadas dependendo da permeabilidade do solo, das características e do volume dos efluentes.

Cuidados com os resíduos

Segundo o Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) a armazenagem e o descarte desses resíduos devem garantir condições de segurança e reduzir ao máximo os riscos de contaminação. Produtos de alta periculosidade, como o óleo lubrificado usado, devem ter o transporte feito somente por empresas autorizadas pelos órgãos competentes.

A pró-ambiental é uma empresa que está devidamente licenciada (ISO 9001) em todos os serviços, desde a coleta, até o transporte, armazenamento e tratamento do resíduo a ser descartado. São mais de 56 veículos de coleta, 1500m² para armazenamento e aterro licenciado com capacidade para 62.805 toneladas de resíduos.

Entre em contato pelo e-mail proambiental@proambientaltecnologia.com.br ou pelos telefones (35) 3826-9038 / 3826-9048 / 9 9127-0383.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Tratamento de Resíduos: o que sua empresa precisa saber.

Embalagens de papel, metal, plástico, substâncias tóxicas. Todos os dias toneladas de resíduos são despejados no meio ambiente. Dos mais simples aos mais complexos, eles possuem propriedades que agridem a natureza e o homem. Em termos gerais, todo “resto” das atividades humanas pode ser considerado resíduo. Alguns menos e outros mais prejudiciais ao meio ambiente e ao ser humano. Porém, praticamente todos eles poluem a natureza, atraem animais indesejados e podem demorar anos para se decompor.  Por isso, é essencial saber como descartá-los corretamente.

 

As empresas e os resíduos

A segregação de resíduos é um desafio para muitas empresas, que os produzem, em sua maioria, em quantidades significativas. De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PRNS) é obrigatório que empresas e organizações implementem ações para a coleta e segregação de seus resíduos, que podem ser separados de acordo com suas características químicas, físicas, radiológicas e biológicas.

Desenvolver uma gestão ambiental eficiente, além de boas políticas de descarte, não é somente um “dever”, é também uma obrigação; mostrando compromisso, responsabilidade e preocupação das empresas com o meio ambiente e a sustentabilidade, bem como com a saúde pública e bem estar da população.

 

Resíduos: Coleta, transporte e armazenamento

Sejam resíduos sólidos, industriais, domésticos ou orgânicos, os procedimentos, tecnologias e tratamentos de segregação são específicos para cada tipo residual e incluem o processo de coleta, transporte, tratamento e destino final de cada dejeto.

Coleta – O processo de segregação começa com a coleta – diferente para cada tipo de resíduo. Como a maioria deles é tóxica e prejudicial ao meio ambiente, todo cuidado é pouco, e o indicado é que a coleta seja realizada por profissionais preparados e equipamentos que garantam segurança e eficiência.

Transporte – Outro detalhe importante para a segregação de resíduos é o transporte. Térreo, aéreo ou aquático, todo resíduo precisa ser transportado com o máximo de segurança possível. Em caso de acidentes, motoristas e passageiros devem estar treinados para solucionar possíveis problemas com agilidade. Os veículos também são adaptados e equipados, garantindo o transporte seguro e evitando catástrofes.

Armazenamento – Como armazenar resíduos? A resposta é simples: com segurança. Para tanto, locais e dispositivos de armazenamento seguem normas que otimizam a segurança e o acondicionamento dos resíduos, visando evitar possíveis acidentes, tais como derramamentos, exposições e vazamentos. O armazenamento, assim como as outras etapas, deve ser meticuloso e averiguado por profissionais especializados.

Como fazer o tratamento adequado dos resíduos?

Após a coleta, o transporte e o armazenamento, os resíduos passam pela etapa final da segregação: o tratamento. Os procedimentos mais conhecidos são incineração, aterro, compostagem e reciclagem.

A incineração é um método comum e bastante utilizado para, por exemplo, os resíduos hospitalares. Nesse processo, os dejetos tóxicos são destruídos termicamente,  através de temperaturas superiores a 800°C. A queima pode ser realizada por diversos tipos de incineradores, que transformam os resíduos em cinzas e gases.

Outro método de segregação é o aterro, que funciona como um depósito de resíduos sólidos, principalmente não recicláveis. É considerado uma das formas mais higiênicas e ambientalmente corretas de se tratar resíduos, pois não ameaça a saúde pública nem o meio ambiente; uma alternativa comum para quem busca a potencialização da saúde pública. Os aterros possuem sistemas de drenagem, são monitorados e utilizam materiais preparados para cobrir os resíduos. Todos os critérios e diretrizes para a construção e o funcionamento de um aterro seguem as normas do Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Considerada a forma mais sustentável para reaproveitar resíduos orgânicos, a compostagem é um processo simples, que utiliza decompositores e saprófita – organismos que se alimentam de outros – para diminuir a quantidade de resíduos e produzir  compostos que podem ser utilizados como fertilizantes.

A reciclagem é outra opção de tratamento. Simples, acessível e barata, consiste na separação e no reaproveitamento de resíduos. O material recolhido é reutilizado na mesma forma ou transformado em outros produtos. Processo muito comum em se tratando de, dentre outros, papéis, plásticos, vidros, metais não nocivos.

Destinação final

Conhecer o tipo de resíduo e qual a tecnologia disponível para segregá-lo – este é o grande segredo para as empresas. A segregação de resíduo, seja ele qual for, deve ser pensada estrategicamente, a fim de elevar o nível de sustentabilidade. O sucesso está em conciliar alta produção e gestão ambiental, gerando, assim, o crescimento econômico sustentável.  

 

A Pró Ambiental atua há 15 anos desenvolvendo um sistema seguro de serviços especializados em coleta, transporte, valorização e destinação final de resíduos industriais e de saúde. Precisa de apoio para realizar o tratamento de resíduos na sua empresa? Conte conosco!

Entre em contato através do nosso formulário. Clique e saiba mais. 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Resíduos industriais – Conheça a classificação e a importância de fazer o descarte correto

O descarte correto de resíduos industriais é de extrema importância para o meio ambiente e para a saúde pública. De responsabilidade das empresas, o descarte incorreto pode implicar em vários problemas legais e ambientais. Mas como é feita a classificação dos resíduos industriais e o descarte correto?

Provenientes das sobras da produção, os resíduos industriais não podem ser descartados sem um controle adequado. Os resíduos industriais, na maioria das vezes, são de constituição mista e devido a isso é importante um diagnóstico correto para tomar as medidas que ajudem o meio ambiente e a saúde humana.

Resíduos industriais e suas classificações

No Brasil, os resíduos industriais são classificados segundo a norma NBR 10.004. A classificação é utilizada para determinar o descarte e tratamento adequado para cada tipo de resíduo. São três categorias distintas:

Resíduos industriais de classe I – perigosos

Os resíduos industriais de classe I, ou resíduos perigosos, podem ser identificados por meio de características como a inflamabilidade, toxicidade e corrosividade, dentre outras.

Resíduos industriais de classe II A – não inertes

Diferentemente dos resíduos de classe I, os classificados como Classe II A, ou resíduos não perigosos e não inertes, não apresentam periculosidade, podendo conter características de combustão, biodegradabilidade e solubilidade.

Resíduos industriais de classe II B – inertes

Resíduos industriais de classe II B ou não perigosos e inertes são aqueles que não apresentam nenhum de seus constituintes solubilizados em concentrações superiores aos padrões de potabilidade da água quando submetidos a testes de solubilização.

Políticas ambientais

Com o crescimento da atividade industrial, o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) desenvolveram um inventário nacional para ajudar na regulação das indústrias nacionais.

Segundo a legislação, os geradores são responsáveis pelo gerenciamento, transporte e tratamento e destinação final dos resíduos.

É necessário que as empresas tenham consciência das consequências do descarte incorreto dos resíduos industriais. Tóxicos e poluentes, os resíduos provocam alterações no solo e na água, quando descartados de forma irregular, podendo causar grandes prejuízos ao meio ambiente e à saúde humana, provocando doenças e até mortes nas comunidades afetadas.

Além dos danos citados acima, o descarte incorreto resulta em punições severas para a própria empresa geradora dos resíduos. A Lei 6.938/1981 – Política Nacional do Meio Ambiente.define que o poluidor é obrigado a indenizar pelos danos ambientais que causar

A empresa também pode perder financiamento, pois diversas instituições financeiras exigem o licenciamento ambiental.


Benefícios

Empresa que cuida do meio ambiente também colhe os frutos de tomar a atitude correta. Com uma maior consciência ambiental por parte do consumidor, também se torna cada vez mais importante as empresas se posicionarem a favor do meio ambiente.

O chamado Marketing Verde abre as portas para negócios com outras empresas e clientes que dão prioridade a quem cuida e preserva o meio ambiente.

 

Cuidar do meio ambiente não se trata apenas de um posicionamento ideológico, mas também de uma exigência legal.  Conte com a Pró-Ambiental pra regularizar as políticas ambientais de tratamento de resíduo da sua empresa.  Para saber outras informações, entre em contato conosco através da nossa aba contato no site. 

 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Top

hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh