Acompanhe nossos conteúdos!

Artigos e notícias sobre o segmento de coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos industriais e de saúde. Confira aqui!

Qual a importância de contratar os serviços de tratamento de resíduos?

Especialmente neste período em que a consciência ambiental vem ganhando dimensões cada vez maiores no meio empresarial, estar em dia com o processo de tratamento dos resíduos produzidos diariamente pela sua companhia torna-se essencial. 

Afinal, os resíduos não podem ser descartados de qualquer maneira, o que mostra uma urgência para que o tratamento seja realizado de forma profissional e com a mão de obra correta. E é nesse cenário que entram as empresas especializadas no gerenciamento de resíduos. 

Você sabe qual a importância de contratar serviços especializados de tratamento de resíduos para sua empresa? Continue a leitura que iremos te explicar! 

  • O que é a gestão de resíduos? 

 

Para começar, é importante entendermos o que é a gestão de resíduos. Em poucas palavras, esse processo consiste em uma série de etapas que visam destinar corretamente os resíduos produzidos no cotidiano da empresa. 

Esses processos são: 

 

  • Coleta; 

 

  • Armazenamento;
  • Transporte;
  • Tratamento;
  • Destinação final.

 

 

 

Como vimos acima, o tratamento é apenas uma fase no meio desse conjunto de métodos tão importantes para a diminuição dos impactos ambientais gerados pelas atividades industriais. 

 

 

  • Quais os impactos de não realizar o tratamento de resíduos adequado? 

 

Dentre os principais impactos de não realizar o tratamento residual na sua empresa, podemos citar dois extremamente significativos: as consequências judiciais e as consequências ambientais. 

No primeiro caso, considere o fato de que existem leis rígidas que exigem das empresas um gerenciamento correto dos resíduos. A Política Nacional de Resíduos Sólidos, por exemplo, monitora de perto como cada companhia lida com seus resíduos. O não cumprimento das determinações desta lei pode causar complicações jurídicas. 

E obviamente, o lado ambiental também sofre massivo impacto com as negligências de empresas que não realizam o tratamento adequado. Ecossistemas inteiros podem ser prejudicados pela displicência e falta de consciência sustentável. 

 

  • Quais as vantagens do tratamento de resíduos? 

 

A vantagem mais importante da realização do tratamento de resíduos é, sem dúvida, a prevenção de danos ambientais e impactos na natureza. Apenas com um gerenciamento bem planejado, você pode estar ajudando a evitar contaminações de zonas hídricas e do solo, disseminação de doenças entre outros elementos nocivos para o meio ambiente. 

Além do fator sustentável, a imagem de uma empresa pode mudar drasticamente no mercado de acordo com suas atuações em atividades ambientais. 

Estando em dia com a Política Nacional de Resíduos e respeitando as normas de gerenciamento, sua companhia será sempre associada a um negócio ecologicamente correto. 

 

  • Por que contar com uma empresa especializada para realizar o serviço?

 

Como vimos anteriormente, o processo de gerenciamento envolve uma série de etapas para ser efetuado. Dessa forma, esse é um serviço que precisa ser feito por pessoas capacitadas e com a expertise ideal para o trabalho. 

Pensando nisso, é de extrema importância que você conte com uma empresa especializada em gestão de resíduos. Além da mão de obra especializada, ela terá também o equipamento certo para que todas as fases do gerenciamento ocorram com sucesso. 

A Pró-Ambiental atende todos os requisitos para ajudar na gestão de resíduos da sua empresa. Com mais de 15 anos de atuação no mercado, somos referência de qualidade em Lavras e no Rio de Janeiro. Entre em contato!

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Resíduos Classe II: o que são e quais os tipos? 

Para que o processo de gerenciamento de resíduos de sua empresa ocorra sem maiores problemas, a realização da classificação dos tipos de resíduos produzidos durante as atividades diárias é essencial. 

 

Para isso, a ABNT determinou por meio da norma 10.004 dois diferentes tipos de classificações para resíduos, cada um contando com suas especificidades físicas, biológicas e químicas: os Classe I e os Classe II. 

Você sabe o que são os resíduos Classe II e quais seus tipos? Siga a leitura que iremos explicar em detalhes. 

 

Quais são as classificações existentes? 

O primeiro passo é entendermos a classificação de resíduos em sua totalidade. A ABNT NBR 10.004 dividiu dois grupos de resíduos sólidos: Classe I e II. Em suma, o fator primordial que diferencia ambas está na periculosidade de composição residual. 

A Classe I, por sua vez, é caracterizada por resíduos que apresentam componentes considerados perigosos para a saúde humana ou para o meio ambiente de uma forma geral. 

As características dos resíduos Classe I costumam ser inflamabilidade, reatividade, toxicidade, corrosividade e patogenicidade. E por conta dessas particularidades, os resíduos dessa classificação devem ser manuseados e processados de forma adequada. 

O que são resíduos Classe II? 

Em resumo, os resíduos Classe II são todos aqueles que não se encaixam na Classe I. Ou seja, resíduos que não apresentam em suas composições características consideradas como perigosas. No entanto, mesmo não apresentando periculosidade, os resíduos Classe II também necessitam de atenção no descarte. A destinação errada pode trazer sérios impactos para o meio ambiente. 

Dentro das características próprias dos resíduos definidos como Classe II, podemos encontrar a combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade em água. 

Exclusivamente para a Classe II de resíduos, a ABNT definiu duas subclassificações, cada uma com suas particularidades: os resíduos de Classe II A (não inertes) e os resíduos de Classe II B (inertes). 

Quais as divisões dos resíduos Classe II? 

  • Classe II A (não inertes): Nessa classificação, encontramos os resíduos que, apesar de possuírem baixa periculosidade, ainda apresentam características químicas reativas a determinados meios. Esses resíduos, quando expostos ao contato dinâmico e estático com água destilada/deionizada e à temperatura ambiente, possuem um ou mais de seus componentes lixiviados ou solubilizados. Matérias orgânicas da indústria alimentícia, fibras de vidro e gessos são exemplos de resíduos Classe II A.  
  • Classe II B (inertes): Este é o grupo de resíduos que apresentam uma baixa capacidade de reação, podendo ser reciclados ou destinados para aterros sanitários de maneira segura. Essa segurança é possível especialmente pelo fato dos resíduos inertes não mudarem suas composições com o passar do tempo. Ademais, quando são expostos à água destilada ou deionizada em temperatura ambiente, mostram-se indiferentes. Como exemplos, podemos citar sucata de ferro, aço e entulhos. 

 

Conhecer as características próprias dos resíduos Classe II é indispensável para o gerenciamento de resíduos eficiente e, acima de tudo, que não apresente impactos ambientais. 

Em tempo, precisando de uma empresa especializada no mercado de resíduos, você pode contar com os anos de experiência da Pró-Ambiental. Entre em contato conosco. 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Você sabe o que é Certificado de Destinação Final de Resíduos?

Você sabe o que é o CDF (Certificado de Destinação Final de Resíduos)? Especialmente se sua empresa gera algum tipo de resíduo sólido, essa é uma sigla que você precisa saber muito bem o significado e qual sua importância. 

O CDF é um documento que atesta que a tecnologia usada na destinação residual está em conformidade com as normas ambientais, não causando impactos para a natureza. A emissão do documento é realizada via MTR Online. 

Nesse artigo, vamos te explicar o que é Certificado de Destinação Final de Resíduos e qual sua importância para o meio ambiente. 

 

O que é o CDF?

De maneira resumida, o Certificado de Destinação Final de Resíduos, documento emitido pelo destinador, tem como principal objetivo garantir que o processo de destinação foi realizado de forma cuidadosa pelo gerador. 

Em outras palavras, o CDF fornece todo um detalhamento sobre os trâmites que envolvem a destinação desde sua origem até o destino final de fato, informando que o gerenciamento do resíduo foi adequado para a sua classificação. 

Ademais, também é emitida uma nota fiscal no CDF que conta com informações sobre peso, quantidade de resíduos, identificações e classes.

 

Qual a importância de possuir o CDF?

Hoje em dia, especialmente, empresas vêm progressivamente adotando práticas mais sustentáveis e pró meio ambiente para se adequarem às normas regulamentares. A garantia que sua corporação esteja em conformidade com a natureza é indispensável. 

E o CDF é uma maneira efetiva de apresentar à comunidade que sua empresa de fato não apenas conhece os impactos que uma destinação final de resíduos displicente pode causar, como busca resolver essa problemática por meio de ações. 

Portanto, o CDF acaba por ser um atestado de que sua empresa está andando conforme as normas ambientais no que se refere à destinação de resíduos.

 

Como emitir o Certificado de Destinação Final de Resíduos?

Para a emissão deste documento, você precisa entrar no MTR Online – SINIR, um sistema online desenvolvido justamente com o intuito de emitir o CDF. 

No MTR Online, o gerador, o transportador, o armazenador e o destinador apresentam informações importantes dos resíduos produzidos. 

Por fim, o SINIR é uma ferramenta do PNRS que busca aglutinar todos os dados referentes ao processo de gerenciamento de resíduos.

 

Quais informações constam no CDF?

Nesse documento, você deve encontrar a nota fiscal, identificação de peso e classe dos resíduos e quantitativos. Além disso, esses outros tópicos também devem estar presentes no CDF: 

 

  • Cabeçalho que conste dados cadastrais referente ao tratador (nome, CPF, informações de localização, etc)
  • Dados do gerador dos resíduos. Aqui, as informações da empresa que está enviando o os resíduos devem ser informadas.
  • Listagem completa dos resíduos. Aqui, todas as informações referentes ao resíduo devem ser especificadas. 
  • Dados do licenciamento ambiental do destinador. Aqui deve conter o registro do número da LAO (licença ambiental de operação) do destinador, além do prazo de validade e código de atividade do destinador.
  • Declaração de que os resíduos foram entregues de forma segura. 

 

O CDF é um certificado de muita importância para o meio ambiente. Monitorar os resíduos produzidos pela empresa é uma efetiva forma de evitar impactos significativos para a natureza. 

E precisando de auxílio para realizar o gerenciamento residual de sua corporação? Conte com a experiência e atuação de 15 anos no mercado da Pró-Ambiental! Entre em contato conosco!

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Você sabe o que é o MOPP e qual sua importância?

Se a sua empresa trabalha com alguma atividade que envolva resíduos perigosos, é essencial que você saiba o que representa o curso de Movimentação de Produtos Perigosos, ou como é mais conhecido, o MOPP. 

Essencial para evitar problemas ou acidentes que causem algum tipo de risco para a vida humana ou para a natureza, o MOPP tem como principal objetivo orientar da melhor forma possível como o transporte de resíduos perigosos deve ser realizado em plena segurança. 

Mas você sabe efetivamente o que é o MOPP e qual sua importância para o processo de gerenciamento de resíduos? Continue a leitura do artigo que vamos te explicar!

 

O que é o MOPP?

Em resumo, o MOPP é um curso de especialização em transporte de resíduos perigosos que tem como foco principal auxiliar os condutores sobre os cuidados necessários que devem ser tomados na realização desse trâmite. 

Ou seja, nesse curso, o motorista ganha um aparato completo sobre como deve se portar no trânsito carregando resíduos perigosos em seu veículo. Ele é auxiliado da melhor forma possível a agir em determinadas situações sem colocar a sua vida e a de terceiros em risco. 

Dessa forma, o MOPP é indispensável para todo condutor que trabalha com esse tipo de resíduo. O curso atua diretamente na prevenção de problemas no trânsito, evitando eventuais acidentes que poderiam acontecer sem o conhecimento necessário.

 

Quais resíduos devem ser transportados por um condutor que tenha feito MOPP?

Segundo determinações do Detran, os resíduos que, para serem transportados, necessitam de um motorista aprovado pelo MOPP são: 

  • Gases
  • Explosivos
  • produtos transportados a altas temperaturas
  • Corrosivos
  • Substâncias perigosas diversas 
  • Substâncias radioativas 
  • Sólidos inflamáveis 
  • Substâncias tóxicas e infectantes 
  • Substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos
Como o curso MOPP é realizado?

O órgão responsável pelo MOPP é o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), de acordo com a lei 96.044/88. No total, o curso possui uma carga horária de duração que varia entre 40 e 60 horas práticas e teóricas. 

O MOPP prepara os motoristas para que eles estejam prontos para a resolução de quaisquer problemáticas referentes ao transporte de cargas perigosas. O objetivo aqui é formar profissionais responsáveis que compreendem a seriedade da atividade que exercem. 

Os temas abordados no curso são: 

  • Legislação do trânsito 
  • Primeiros socorros 
  • Ambiente e cidadania 
  • Movimentação de produtos perigosos
  • Prevenção de incêndios
  • Normas de segurança 
  • Direção defensiva
Quais os requisitos para o MOPP?

O curso pode ser realizado apenas pelos motoristas que atenderem os seguintes pré-requisitos básicos:

  • O motorista precisa ter mais de 21 anos
  • Possuir habilitação na categoria B, C, D ou E
  • O motorista não pode ter cometido infrações graves/gravíssimas (ou reincidir infrações médias) nos últimos doze meses. 
  • O condutor não pode estar cumprindo qualquer tipo de pena que o prive do direito de dirigir, como a cassação do CNH, por exemplo. 

Caso você trabalhe com resíduos perigosos, é uma responsabilidade de sua empresa que os transportadores estejam em conformidade com o MOPP. Seguindo de forma responsável as orientações do curso, acidentes ou problemas de trânsito serão muito mais difíceis de acontecer. 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Você sabe a diferença entre a classificação e a caracterização dos resíduos?

Classificar e caracterizar resíduos, apesar de soarem como termos parecidos, são duas fases bem diferentes durante o processo de gerenciamento residual dentro de uma empresa. Cada uma apresenta particularidades que devem ser respeitadas. 

 

Enquanto a caracterização se mostra uma fase em que são definidas as propriedades físicas, biológicas e composições químicas de um resíduo, a classificação se baseia em identificar as atividades que originaram o resíduo. 

 

No decorrer desse texto, vamos te explicar de forma detalhada as diferenças mais significativas entre a classificação e caracterização de resíduos.

 

O que é a caracterização dos resíduos?

 

Chegando na fase final do gerenciamento, a destinação final, é necessário que se tenha um conhecimento prévio sobre as características físicas, químicas e biológicas de cada resíduo. Essas informações são imprescindíveis para que o resíduo seja destinado da forma adequada para suas composições. 

 

Dessa forma, a caracterização, como o nome sugere, é a fase em que essas propriedades são identificadas e registradas. Com esses dados em mãos, a destinação final será realizada de maneira personalizada, levando sempre em consideração as caracterizações encontradas em cada resíduo. 

 

A primeira fase desse processo de caracterização consiste em uma descrição minuciosa das origens do produto, além de outras informações referentes ao estado físico, cor, odor e grau de heterogeneidade.

 

Na segunda fase, é avaliado o estado físico, o processo que se originou, a atividade industrial que o resíduo pertence e qual seu constituinte principal. E por fim, a terceira fase tem como objetivo definir a destinação final do resíduo.

 

O que é classificação dos resíduos?

 

Já no caso da classificação, o foco principal é identificar tanto os constituintes residuais quanto os processos que deram origem ao resíduo e, em um segundo momento, realizar uma comparação destes constituintes com a listagem de substâncias que tragam algum impacto para o meio ambiente. 

 

No Brasil, essa classificação é realizada por meio da NBR 10.004/04 da ABNT, que visa a identificação de eventuais riscos para o meio ambiente que os resíduos podem causar. 

Segundo a ABNT, as classificações dos resíduos são:

 

 

  • Resíduos Classe I – Perigosos: Resíduos que apresentam características como reatividade, toxicidade, corrosividade, inflamabilidade, etc. Exemplos: restos de tinta, material hospitalar, produtos radioativos. 
  • Resíduos Classe II A – Não inertes: Resíduos que não se encaixam nas classificações de resíduo Classe I ou resíduos de classe II B. Costumam possuir propriedades como combustibilidade ou solubilidade na água. Exemplos: restos de madeira, fibras de vidro, gessos e lixas. 

 

  • Resíduos Classe II B – Inertes: São resíduos que, quando entram em contato estático e dinâmico com a água deionizada ou destilada em temperatura ambiente, mantém seus constituintes com concentrações que perpassam aos padrões naturais de potabilidade da água. Exemplos: areia, sucata, entulhos de demolição.

Saber as particularidades existentes entre a classificação e a caracterização de resíduos é um ponto de extrema importância para realizar um gerenciamento de resíduos eficiente e correto em sua empresa. 

 

E necessitando de um auxílio profissional para gerenciar resíduos, você pode sempre contar com a experiência de 15 anos no mercado da Pró-Ambiental. Entre em contato conosco!

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Reciclagem na empresa: tudo que você precisa saber!

Processo de grande importância para a preservação do meio ambiente, a reciclagem figura entre um dos métodos mais eficientes para tornar sua empresa mais sustentável. E especialmente nos dias de hoje, estar em consonância com o meio ambiente é a garantia de passar uma boa imagem da corporação. 

 

Em poucas palavras, a reciclagem tem como principal objetivo o reaproveitamento de resíduos que seriam descartados logo após o uso, oferecendo-os uma nova utilidade como matéria-prima ou produto. 

 

Nesse artigo, iremos te mostrar tudo que você precisa saber sobre o processo de reciclagem dentro de uma empresa!

O que é a reciclagem?

O primeiro ponto aqui é entender o foco primordial da reciclagem: reduzir o acúmulo de resíduos produzidos diariamente no cotidiano da empresa. E essa redução acontece por meio de um método de reaproveitamento de um resíduo que não apresenta mais funcionamento para o processo. 

 

Portanto, ao utilizar uma série de técnicas próprias para esse fim, um resíduo que seria descartado após chegar em um estado que não seja mais útil para empresa é transformado em uma nova matéria-prima com novas funções. Por fim, os resíduos são separados por material (papel, vidro, plástico, metal, etc) e tomam suas novas formas ao fim do processo. 

 

A reciclagem é classificada pelo próprio Ministério do Meio Ambiente como um dos métodos mais eficientes de tratamento de resíduos, visto que além da redução na produção de resíduos, o processo também gera milhares de empregos.

Quais os benefícios da reciclagem?

 

Já vimos a importância da reciclagem tanto para a empresa quanto para o meio ambiente. Agora, o próximo passo é compreendermos os benefícios que o ato de reciclar pode trazer. E acredite: são muitos! 

 

Em primeiro lugar, a reciclagem atua diretamente na redução de resíduos no meio ambiente. Reciclar evita, por exemplo, a produção de novos materiais (como o papel, que exigiria o corte de árvores), além de afastar a emissão de gases poluentes, vide o metano e o gás carbônico. 

 

Além desse fator, a reciclagem pode servir como um grande marketing positivo para sua empresa. Afinal, qual empresa não gostaria de ter a imagem social atrelada com preservação da natureza?

 

Reciclagem e gestão de resíduos: qual a importância?

 

Uma companhia pode produzir uma quantidade massiva de resíduos durante o dia a dia. Para evitar que essa produção acabe por se transformar em acúmulo residual, o controle dos resíduos torna-se essencial na rotina da empresa. 

 

Portando, aliado com a reciclagem, deve haver um efetivo gerenciamento de resíduos funcionando dentro da corporação. 

 

E por “gerenciamento de resíduos”, entendemos a asseguração de todas as etapas da vida útil de um resíduo. Desde a fase de produção, passando pelo acondicionamento, transporte, a própria reciclagem até a destinação final. 

 

E a melhor forma de garantir um gerenciamento de resíduos seguro é trabalhando com uma empresa especializada no ramo. E a Pró-Ambiental possui exatamente a experiência necessária para contribuir de forma profissional no controle residual de sua corporação. 

 

Afinal, são mais de 15 anos de atuação na área que vão te assegurar um serviço de competência e qualidade!

 

 

 

 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

O que é uma gestão integrada de resíduos?

Cada vez mais, uma gestão de resíduos eficiente torna-se indispensável para qualquer empresa que deseja assumir um compromisso com o meio ambiente. Afinal, estar em dia com o desenvolvimento sustentável, além de beneficiar a natureza, você estará melhorando a reputação de sua companhia.

A gestão integrada de resíduos é uma maneira eficaz de reduzir o acúmulo residual que a empresa produz no dia a dia de trabalho.  Nesse artigo, vamos sanar as principais questões sobre o que é uma gestão integrada de resíduos e como a realizar de forma correta.

O que é gestão integrada de resíduos?

De forma simples e resumida, a gestão integrada é um sistema que visa soluções para o resíduo produzido no ambiente de trabalho. Ou seja, é uma forma de encontrar meios de reduzir o máximo possível o acúmulo residual. 

O processo é abrangente com todos os tipos de resíduos e exige controle em todas as etapas da produção residual, desde a geração, passando pelo acondicionamento, coleta, tratamento até chegar na disposição final.

Por fim, a  implantação da gestão integrada de resíduos é uma responsabilidade social, sendo reconhecida por lei como uma obrigação tanto para o setor público quanto para o privado. Sejam grandes empresas ou pequenos comércios, esse processo deve ser presente. 

Como implantar a gestão integrada de resíduos? 

Em primeiro lugar, é importante que todos os colaboradores da empresa compreendam a importância da realização da gestão integrada de resíduos. Espalhar cartazes informativos pela empresa sobre a importância da redução de resíduos é uma boa maneira de manter todos engajados no mesmo objetivo. 

Financiar cursos sobre desenvolvimento sustentável também é uma opção viável. Lembre-se: quando a mentalidade coletiva está alinhada na mesma direção, o processo acontece de forma mais natural e fluida. 

E é claro, contar com uma empresa especializada no ramo de resíduos tem grande parcela de importância na hora de implantar a gestão integrada de resíduos. 

Quais as vantagens de realizar a gestão integrada de resíduos?

A primeira e mais importante vantagem de adotar o sistema de gestão integrada de resíduos na sua empresa é estar trabalhando em respeito ao meio ambiente. Ao reduzir a produção de resíduos, você estará ativamente contribuindo para a prevenção de eventuais impactos ambientais. 

Além desse ponto, você também estará respeitando as leis. É uma obrigação social gerir os resíduos produzidos na empresa. Então adotando essa prática, também evitará possíveis problemas com multas. 

Por fim, como consequência, a sua empresa será vista como uma companhia que está em dia com o meio ambiente. Praticar a gestão integrada é uma ótima maneira de melhorar a reputação e a imagem da empresa, o que certamente será revertido em lucros e ganhos econômicos. 

 

 Gerir os resíduos produzidos no dia a dia de trabalho é uma atitude que só renderá vantagens. Seja em curto, médio ou longo prazo, assumir um compromisso com a natureza trará inúmeros frutos para você e seus colaboradores. 

E para realizar uma gestão de resíduos completa e sem erros, conte com a Pró-Ambiental. Somos uma empresa com mais de 15 anos de experiência no mercado e estamos prontos para te auxiliar desde o condicionamento até a destinação final dos resíduos.   Entre em contato conosco e veja como podemos auxiliar a sua empresa.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Você sabe o que é a logística reversa? Veja como aplicar na sua empresa

 

A instauração de novos pequenos hábitos sustentáveis durante o dia a dia da sua empresa pode ser determinante para a preservação do meio ambiente, impactando diretamente tanto na imagem da sua companhia quanto, principalmente, na preservação da natureza.

 

O processo de logística reversa é uma forma muito eficiente de manter o compromisso com as questões ambientais. Com um foco na reutilização no processo produtivo de materiais já usados e que poderiam ser descartados, a logística reversa é uma aliada em potencial de questões sustentáveis. 

 

Mas afinal, você sabe o que efetivamente é a logística reversa? Nesse artigo vamos elucidar sobre os principais pontos positivos desse processo tão importante. 

Qual conceito por trás da logística reversa? 

 

 

Sabemos que o acúmulo de resíduos sólidos na atmosfera é um problema real de nosso tempo e deve ser combatido. A logística reversa surge exatamente nesse cenário: minimizar ao máximo esse acúmulo, reutilizando e reaproveitando matéria prima já usada anteriormente. 

 

A logística reversa consiste na volta do produto adquirido pelo consumidor para a empresa de origem, valorizando sempre o baixo custo e a agilidade existente nesse processo. E dentro do raciocínio da logística reversa, questões como políticas de trocas e devoluções e postos para devolução de produtos estão inclusas. 

 

Em suma, o processo da logística reversa é um conjunto de estratégias para reduzir o acúmulo de resíduos sólidos e ao mesmo tempo promover uma economia de matéria prima por parte da empresa responsável por meio da reutilização. 

 

Como planejar e aplicar a logística reversa? 

 

 

Para realizar esse processo com sucesso e sem maiores problemas, é imprescindível que você tenha um bom planejamento sobre como a logística reversa irá se desenvolver na sua empresa. Para isso, alguns pontos devem ser levados em consideração: 

 

  • Detalhe muito bem a política de trocas, reparos e devoluções de sua empresa. Apresente de forma clara para seu consumidor todas as possibilidades que envolvem esse assunto. 
  • Apresente o ciclo de vida do seu produto para o cliente de forma que ele consiga saber como proceder quando a vida útil do objeto acabar. 
  • Escolha com cautela o tratamento e a destinação final correta e específica para cada produto devolvido, assim como suas embalagens.
  • Liste o motivo das devoluções de produtos. Assim, você estará identificando as problemáticas existentes na produção e conseguirá solucioná-las mais facilmente.   
  • Motive seus consumidores a devolverem os produtos para empresa após a vida útil terminar. 

 

Quais as vantagens da logística reversa?

 

 

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que existem leis que obrigam as empresas a recolherem os resíduos provenientes de seus produtos. Dessa forma, realizar a logística reversa é uma garantia de que sua empresa estará dentro das normas legislativas. 

 

Além dessa questão, temos dois pontos importantes também. Primeiro e mais óbvio, sua empresa estará contribuindo ativamente para a redução de descarte indevido de resíduos, agindo assim em conformidade com o meio ambiente. 

 

E por último mas não menos importante, adotar a logística reversa é uma atitude que trará uma publicidade positiva para a imagem da sua empresa.

 

 Logo, o útil se unirá ao agradável. Ao mesmo tempo em que você estará fazendo sua parte para a preservação da natureza, a imagem da sua companhia será de uma empresa que efetivamente se importa com o meio ambiente e pensa em um futuro melhor para a sociedade. 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh