Você sabe a diferença entre a classificação e a caracterização dos resíduos?

Classificar e caracterizar resíduos, apesar de soarem como termos parecidos, são duas fases bem diferentes durante o processo de gerenciamento residual dentro de uma empresa. Cada uma apresenta particularidades que devem ser respeitadas. 

 

Enquanto a caracterização se mostra uma fase em que são definidas as propriedades físicas, biológicas e composições químicas de um resíduo, a classificação se baseia em identificar as atividades que originaram o resíduo. 

 

No decorrer desse texto, vamos te explicar de forma detalhada as diferenças mais significativas entre a classificação e caracterização de resíduos.

 

O que é a caracterização dos resíduos?

 

Chegando na fase final do gerenciamento, a destinação final, é necessário que se tenha um conhecimento prévio sobre as características físicas, químicas e biológicas de cada resíduo. Essas informações são imprescindíveis para que o resíduo seja destinado da forma adequada para suas composições. 

 

Dessa forma, a caracterização, como o nome sugere, é a fase em que essas propriedades são identificadas e registradas. Com esses dados em mãos, a destinação final será realizada de maneira personalizada, levando sempre em consideração as caracterizações encontradas em cada resíduo. 

 

A primeira fase desse processo de caracterização consiste em uma descrição minuciosa das origens do produto, além de outras informações referentes ao estado físico, cor, odor e grau de heterogeneidade.

 

Na segunda fase, é avaliado o estado físico, o processo que se originou, a atividade industrial que o resíduo pertence e qual seu constituinte principal. E por fim, a terceira fase tem como objetivo definir a destinação final do resíduo.

 

O que é classificação dos resíduos?

 

Já no caso da classificação, o foco principal é identificar tanto os constituintes residuais quanto os processos que deram origem ao resíduo e, em um segundo momento, realizar uma comparação destes constituintes com a listagem de substâncias que tragam algum impacto para o meio ambiente. 

 

No Brasil, essa classificação é realizada por meio da NBR 10.004/04 da ABNT, que visa a identificação de eventuais riscos para o meio ambiente que os resíduos podem causar. 

Segundo a ABNT, as classificações dos resíduos são:

 

 

  • Resíduos Classe I – Perigosos: Resíduos que apresentam características como reatividade, toxicidade, corrosividade, inflamabilidade, etc. Exemplos: restos de tinta, material hospitalar, produtos radioativos. 
  • Resíduos Classe II A – Não inertes: Resíduos que não se encaixam nas classificações de resíduo Classe I ou resíduos de classe II B. Costumam possuir propriedades como combustibilidade ou solubilidade na água. Exemplos: restos de madeira, fibras de vidro, gessos e lixas. 

 

  • Resíduos Classe II B – Inertes: São resíduos que, quando entram em contato estático e dinâmico com a água deionizada ou destilada em temperatura ambiente, mantém seus constituintes com concentrações que perpassam aos padrões naturais de potabilidade da água. Exemplos: areia, sucata, entulhos de demolição.

Saber as particularidades existentes entre a classificação e a caracterização de resíduos é um ponto de extrema importância para realizar um gerenciamento de resíduos eficiente e correto em sua empresa. 

 

E necessitando de um auxílio profissional para gerenciar resíduos, você pode sempre contar com a experiência de 15 anos no mercado da Pró-Ambiental. Entre em contato conosco!

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Matérias Relacionados

As lâmpadas são objetos classificados como recicláveis, devido a conjunção de elementos como vidro, plástico e metal. No entanto, as lâmpadas jamais devem ser descartadas como lixo doméstico, ainda mais se for uma lâmpada caracterizada como fluorescente. De acordo com o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, o material presente em uma lâmpada fluorescente é […]

O mundo está em constante desenvolvimento, setores industriais, tecnológicos, hospitalares, comerciais e urbanos movimentam a economia e a geopolítica por meio de processos que auxiliam o contínuo ciclo de progressão global. Embora o progresso e os avanços realizados sejam um bom sinal, devemos estar atentos com a geração de resíduos produzidos todos os dias. De […]

Realizar o tratamento de resíduos na empresa possui diversos benefícios. Além de proteger seus colaboradores, promove o bem-estar ambiental e social. Dessa forma, durante o processo de tratamento é necessário escolher uma forma correta, segura  e qualificada para o transporte de resíduos. Sobre o transporte Cada empresa gera um determinado tipo de resíduo como sólido, […]

O conceito Evironmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança) ou mais conhecido com as siglas ESG é um projeto da ONU que busca novos métodos de incentivo para as empresas adotarem práticas sustentáveis. Além do desenvolvimento e crescimento dos negócios da empresa que pode se destacar da concorrência, o ESG contribui para o bem-estar […]

A destinação final de resíduos farmacêuticos é um grande tema que está em constante debate entre os órgãos de saúde e ambientais, que são responsáveis pela coordenação legal, fiscalizando as atividades geradoras de resíduos.  No Brasil, o setor farmacêutico em 2020 chegou a movimentar cerca de 4,7 trilhões  de medicamentos entre caixas, embalagens de xarope […]

Com o passar do tempo, está cada vez mais frequente empresas adotarem ações sustentáveis. Além de apoiarem causas que preservam e valorizam o meio ambiente, essas ações auxiliam também na redução do impacto ambiental. Por essa razão, durante muito tempo acreditavam que o conceito “sustentabilidade corporativa” estava atrelado somente ao meio ambiente, cumprindo com campanhas […]

Assim como os serviços de saúde hospitalar, clínicas veterinárias também devem por lei realizar o descarte ambientalmente correto de resíduos. Dessa forma é necessário montar um planejamento de tratamento adequado para não colocar em risco à saúde humana e ao meio ambiente, o processo deve seguir as normas determinadas pela ANVISA. De acordo com a Comissão […]

É de extrema importância para as empresas realizar a destinação ambientalmente correta dos resíduos gerados. Além de estar em dia com as obrigações legais e as normas exigidas pelos órgãos ambientais, a sua empresa estabelece um comprometimento sustentável com a sociedade e o meio ambiente. Por essa razão, para comprovar que sua empresa realiza a […]

Praticar ações sustentáveis contribui na preservação do meio ambiente e no bem estar social. Por esta razão o consumidor está cada vez mais em busca de empresas que se preocupam em gerar menos impacto negativo ao meio ambiente. De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela revista Exame, com mais de 140 empresas, 84% analisam anualmente […]

A NR 25 é uma das 36 normas regulamentadoras relacionadas à saúde e segurança do trabalhador, criada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Ela tem como objetivo tratar da integridade física dos funcionários, ou seja, fazer com que empresas adotem boas práticas tecnológicas e organizacionais, protegendo e cuidando dos funcionários sobre os riscos gerados […]

Junte-se ao grupo exclusivo de conteúdos

e receba informações com prioridade!

hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh